Previsão do Tempo - Águas de Lindóia

HISTÓRICO DESTA CIDADE:

O poder das águas termas de Águas de Lindóia já eram conhecidas no século XVIII, no início do milênio de 1700, na qual a região era batizada pelo nome de terra das "Águas Quentes", quando por aqui passavam Bandeirantes e Tropeiros em busca de descanso e relaxamento nas águas que "brotavam" da terra já com propriedades radioativas. Essas terras então, passaram por muitos donos, posseiros. O que mais se destacou como registro histórico foi o italiano Dr. Francisco Antonio Tozzi, considerado o fundador de Águas de Lindóia, no início do século XX.
Dr. Francisco Antonio Tozzi, nasceu no dia 18 de junho de 1870 em Benevento na Itália, formou-se em medicina em Nápoles e veio para o Brasil em 1901, por convite de um conterrâneo, que lhe relatou sobre as águas da região, juntamente com seu tio, o padre Henrique Tozzi
Em 1901, já vivendo em Serra Negra - município a 20 km de Águas de Lindóia - ficou surpreso com a cura de um eczema na perna do seu tio-padre, então pároco em Lindoya, pelas águas que jorravam num morro, próximo às Fazendas do Pelado. O local era chamado de "Águas Quentes", pois as águas nasciam, e nascem até hoje, com temperatura superior à normal e na região onde se localiza hoje o Balneário, com propriedades radioativas.
Ao saber que as terras estavam em leilão adquiriu-as e a partir daí iniciou a grande epopéia da história desta Estância Hidromineral conhecida no mundo todo pelo poder de cura de suas águas termais.
Em 1913, construiu seu pequeno consultório de pau-a-pique, e em 1914, sua família mudou-se para a pequena casa que construíra e seguiu construindo tudo o que era necessário para a auto suficiência de uma estância de cura e repouso.
Em 1920, já havia um trabalho científico sobre as águas radioativas, realizado pelo grande médico cientista Dr. Celestino Bourroul. Mas a fama dessas águas ultrapassou as fronteiras brasileiras quando em 1928, o Dr. Tozzi recebeu a visita da renomada cientista polonesa, radicada na França, Madame Curie, Prêmio Nobel de Química,
muito conhecida pelos seus trabalhos no campo da física radioativa, que, analisando e constatando o valor terapêutico dessas águas radioativas, torna-as conhecida na Europa, principalmente na França, pelo seu trabalho publicado. Passam a ser numerosas as pesquisas científicas sobre essas águas e que são apresentadas em Congressos de Hidro-Climetologia em várias cidades brasileiras.
Em 1937, no auge da fama, aos 68 anos, morreu o grande batalhador Dr. Tozzi, e logo em 1938, Termas de Lindóia conseguia a emancipação político-administrativa de Serra Negra, graças ao eminente político e médico Dr. Vicente Rizzo, genro do Dr. Tozzi.Em 1946, o embaixador Macedo Soares, então governador do Estado, conhecendo a grande projeção dessa Estância, resolveu desapropriar as fontes e áreas de terra que as circundavam, evitando assim as grandes especulações que poderiam ocorrer. Em 1954, iniciou a construção do novo balneário, terminando em 1959 e simultaneamente novo plano urbanístico começou a se concretizar com o surgimento de novas ruas asfaltadas, jardins e praças.
Hoje, Águas de Lindóia é conhecida como a Capital Termal do Brasil, com uma das maiores e melhores redes hoteleiras do País e é internacionalmente reconhecida pelas suas águas como grande potencial de cura, pela hidroterapia e pelo turismo aplicado ao repouso e lazer.


SITE OFICIAL: http://www.aguasdelindoia.com


FONTES: Prefeitura Municipal, Governo do Estado de São Paulo

×