Previsão do Tempo - Sertãozinho

HISTÓRICO DESSA CIDADE:
 
Em 1827, o Brasil, que se encontrava separado de Portugal há cinco anos, era
governado pelo imperador D. Pedro I. Enquanto o Rio de Janeiro começava a
constituir a sua Corte Imperial, com fazendeiros e coronéis ganhando títulos de
barões e viscondes, a vida no interior de Minas Gerais transcorria calmamente
com a prática de atividades da pecuária, da lavoura e do comércio e a
dedicação aos ofícios religiosos.
Era nesse ambiente simples, de terras verdes e colinas, que, numa região que
ia de Caldas até Andradas, no sul daquele Estado, vivia João Manoel de
Pontes, rodeado de parentes e assentados ligados entre si.
No início do século XIX, João Manuel, enfrentava numerosas dívidas e
dificuldades em seus negócios. Sua esposa, Escolástica Maria Rosa, falecera
com apenas 28 anos, vítima de hanseníase. Apenas quatro meses depois, no
dia 9 de setembro de 1823, João Manuel casou-se com Ana Benedita de
Oliveira.
Na época, todos comentavam a beleza do sertão paulista conhecido pelas suas
terras "vermelhas como sangue", já que até as roupas dos sertanistas que
regressavam para Minas Gerais estavam impregnadas dessa cor. Como tinha
pouco a perder e grande desejo de aventura, Pontes organizou, com alguns
parentes, amigos, agregados e três escravos, além da mulher e dos filhos, uma
marcha rumo ao noroeste.
A comitiva foi a pé, com carros de boi, cavalos e burros levando os apetrechos
necessários para a jornada. No grupo estavam: Manuel Jacinto de Pontes e
Antônio Maciel de Pontes, este ainda criança, filhos de João Manoel, e seu
genro Antônio Quirino de Souza Benevides. Também seguiram o mesmo
caminho o seu irmão Domiciano Manuel de Pontes, seus cunhados Antônio
Joaquim da Rocha e José Antônio de Melo e seu amigo Antônio João Ferreira,
todos oriundos de Caldas.
Após meses de jornada, os valentes aventureiros alcançaram o território onde
hoje se encontram as cidades de Sertãozinho e Pontal e o Distrito de Santa
Cruz das Posses. Naquela época, porém, a região era coberta por uma mata
cerrada.
João Manuel, em 1827, chegou até um ribeirão, o córrego do Sertãozinho, e o
percorreu de sua cabeceira até a foz no Rio Mogi-Guaçu. Também explorou
todos os afluentes da região, tomando posse do território, que denominou
Fazenda do Sertãozinho do Mato Dentro. Uma medição posterior apurou que
essa área chegava a 13.768 alqueires.
Em 1847, ano da morte de João Manuel de Pontes, a família dominava
aproximadamente 25 mil alqueires e começou a se dedicar mais ao cultivo das
terras e a construção de benfeitorias para os que ali habitavam. Os sucessivos
casamentos, inventários, heranças, partilhas, negócios de compra e venda,
permutas e doações transformaram Sertãozinho numa enorme colcha de
retalhos, constituída de pequenos sítios, chácaras e fazendas. Para se ter uma
idéia, cem anos após a chegada dos primeiros posseiros, em 1930, ano da
Revolução que mudou o destino do País, a Fazenda do Sertãozinho do Mato
Dentro encontrava-se dividida em 189 partes.
Com uma população de aproximadamente 110.000 habitantes, Sertãozinho
está localizada a nordeste do Estado de São Paulo, na região de Ribeirão
Preto. Distante 325 quilômetros da Capital do Estado é uma das cidades mais
importantes da região. Embora conte com um significativo parque industrial é
principalmente conhecida em todo o Brasil por ser grande produtora de açúcar
e álcool merecendo, por isso, grande projeção.
Localização:
Sertãozinho limita-se ao Norte, com Jardinópolis e Pontal; a Oeste, com
Jaboticabal e Pitangueiras; ao Sul, com Barrinha e Dumont; e, a Leste, com
Ribeirão Preto, dela distando apenas 21 quilômetros. Possui uma Estação
Rodoviária com movimento diário de aproximadamente 180 ônibus. Além das
estradas municipais e vicinais, Sertãozinho é servida por importantes rodovias
estaduais: a SP-330 (Rodovia Atilio Balbo, que liga Sertãozinho a Ribeirão
Preto); a SP-322 (Rodovia Armando de Sales Oliveira, apelidada Rodovia da
Laranja, que vai de Sertãozinho a Bebedouro); a SP-312 (Rodovia Carlos
Tonani, que se estende de Sertãozinho até Borborema); todas proporcionam
interligação com as principais rodovias do Estado: a Via Anhanguera e a Via
Washington Luiz e com o Estado de Minas Gerais
 
FONTE: Prefeitura Municipal, Governo do Estado de São Paulo
Site Oficial: www.sertaozinho.sp.gov.br

×